segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Chove!


Hoje acordei com o som da chuva a bater na janela.
Aconcheguei-me mais na cama, naquela doçura de não querer sair do quente e abraçar o frio cortante de Novembro (que quase tardou em chegar).
Fui despertando lentamente e ganhando coragem. Mal pus o pé de fora, voltei a metê-lo dentro dos lençóis.
"Mais cinco minutos", pensei. E assim foi - se não fosse a transportadora a tocar à campaínha e a fazer-me saltar da cama!
Já há muito que não sentia a ponta do nariz gelada.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

...


O Paraíso tem estado em "slow motion". Há fases assim.
Também sabia que as pessoas que começaram a visitá-lo à dois anos atrás, iriam ficando pelo caminho.
Ainda assim, o Paraíso não vai fechar. Vai continuar, ainda que num ritmo brando. Porque este é, acima de tudo, o meu Paraíso.
Obrigada a todos os que por aqui passam.

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Cão

Fiel amigo. Quando chegamos a casa, aparece-nos com os chinelos na boca, a cauda a abanar desenfreadamente e uma bagunça geral à sua volta.
Solta um latido para chamar a atenção quando fingimos que ele não existe. Lambe-nos ou aconchega-se quando sente que estamos a precisar de companhia. Brinca, morde carinhosamente, faz acrobacias e derrapa no soalho. Salta para o sofá e marca território. Quando vê água foge e chapisca tudo. Come atrás da sua taça da comida, deixando um rasto no chão que limpa com a própria língua depois de ter limpo a taça!
Olhar ternurento, pelo rafeiro, bigodes despenteados.
Para mim, não há melhor companhia.