quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Imaginar



No mundo da imaginação não há limites. Dá-se vida a seres inanimados, misturam-se cores para criar novas tonalidades, faz-se objectos falarem e distorce-se a realidade da maneira mais incrível e bizarra possível. Porquê? Porque é uma maneira de nos evadirmos, de extravasarmos, de nos desviarmos das dores de cabeça do dia-a-dia e dos problemas que constantemente nos afectam.

Numa técnica psicoterapêutica (leccionada no curso e que vou usar com potenciais pacientes!), aprendi a usar e abusar da minha imaginação. A ouvir melodias (sem música), a relaxar, a dar vida às imagens, a construir uma imagem pessoal que possa chamar/recorrer quando o stress está a dominar-me.

Naqueles momentos em que apetece gritar, berrar até não se sentir raiva ou atirar tudo contra a parede, podemos minimizar os efeitos com o uso da imaginação. Eu chamo-lhe slide da paz! lol Mas chamem-lhe o que quiserem. O importante é que relaxemos - graças à nossa imaginação!

sábado, 5 de janeiro de 2008

Terra


- Não passamos de terra. - Dizia o senhor. - De lá vimos e para lá voltamos.
Eu permanecia em silêncio, em concordância e já conhecedora desta certeza, comum a todos nós.
- A menina sabe qual é a mais valia da terra? É que ela é acolhedora, fria e fértil. Independentemente do seu estado, acolhe ou proporciona vida.
Fiquei a pensar nisso.