quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Bom Ano!


Boas entradas em 2010!
Que seja um ano repleto de magia, paz, saúde e oportunidades de sucesso e realizações pessoais!

A todos vocês, um beijinho especial e votos de um FELIZ ANO! :) ****

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

De loucos

Há dias em que mais valia não levantar da cama. Parece que o universo resolveu tirar o dia para nos fazer a vida negra, seja qual for a decisão que tomemos.
Comecemos pela decisão de dormir. Queremos dormir, não é? Ainda é cedo, não há tarefas urgentes a fazer por isso podemos deleitar-nos mais uma boa meia hora na cama. Pois há alguém (geralmente vizinhos) que não são da mesma opinião que nós, e vamos lá fazer barulho como se não houvesse amanhã! Mando um berro surdo e penso em impropérios para alivar a tensão, como se isso fosse realmente um tónico refrescante.
Decido depois ir ver os horários de mestrado. E quando olho para ele afixado, dá-me uma tontura. Terei visto bem? Vão ser dias de levantar de madrugada, passar o dia na universidade até às oito da noite, comer e cama. Com um horário assim, nem há tempo para trabalhar! [Sim, há quem se regozije em não trabalhar... eu cá nem vou ter tempo!].
Seguiu-se o almoço. Sabem aquela sensação que temos antes de chegar a casa, que nos faz imaginar uma carninha suculenta ou um esparguete à bolonhesa e de repente aparece-vos peixe cozido? É de sentir o estômago cair ao chão e perder o apetite. O peixe é essencial à saúde, o peixe faz bem, o peixe tem zinco, o peixe é delicioso. Pois sim... se alguém me disser que o peixe cozido é delicioso, mando-lhe com um rolo da massa pela cabeça abaixo! Isto é o que dá quando não somos nós a cozinhar... temos de comer e calar, como diriam os meus predecessores.
Como se não bastasse saciar a fome com um peixinho brilhante e seco, eis que, por um acto transcendental, o copo me escorrega da mão e verte o ice tea todo em cima da minha t-shirt pink! Podia ser pior, não é? Podia molhar as calças, deixar cair o copo e parti-lo, sei lá...
Banho tomado, sento-me ao computador. Decido que não é um bom dia para voltar a sair de casa. Minutos mais tarde, dois envelopes olham fixamente para mim, tão fixamente que sinto o lado direito da face a ferver. Olho para eles e sinto uma pontada. Devias-nos deixar nos correios hoje. Não, respondo, hoje não é um bom dia. Como se não bastasse ter correspondência a falar para mim, sinto a lista de compras a pairar à frente dos meus olhos. Vocês podem esperar, hoje ainda me remedeio. Mas acham que adianta falar com coisas teimosas? Não, pura perda de tempo. Irritada, levanto-me da cadeira, pego na carteira e saio porta fora. Desço as escadas, entro no carro, ponho o carro a trabalhar, dou meia volta e olho para o assento do passageiro: vejo tudo, menos os envelopes! Toca a voltar atrás!
Finalmente, deixei-os nos correios (por um triz!), fui ao hipermercado (já que tinha saído, ia fazer tudo o que devia fazer) e resolvi gastar um euro e meio a lavar o carro com toda a pompa.
Cheguei a casa e começou a chover. Amanhã vai acordar com uma camada de pó dos pinheiros, fazendo toda a gente crer que já não é lavado há mais de uma semana!
Dia de loucos. Não saio mais hoje, nem que seja o Papa a falar comigo, telepaticamente!

sábado, 1 de agosto de 2009

Férias


Quando me ausento durante algum tempo, é porque ele escassa e acaba por não chegar para tudo. No entanto, não é a escassez de tempo a razão desta ausência. Desta vez, o motivo prende-se com as férias! Agora tenho tempo de sobra, mas para fazer coisas que habitualmente não faria, por isso o blog volta a ficar para segundo plano.
Já desisti de prometer que regresso com mais afinco e mais assiduidade. Os amigos da blogosfera já sabem que as minhas vontades são como o vento: brisas suaves que rapidamente se tornam em ventos fortes para depois voltarem a abrandar.
Volto conforme a disponibilidade e a vontade. Regresso quando sinto saudades daqui e de vocês.

Agora é tempo de aproveitar as férias, que passam num abrir e fechar de olhos. É tempo de comer gelados e guloseimas, de apanhar sol (onde tem ele andado?) e de fazer tudo o que apetece. Porque nesta altura não há restrições. Há que aproveitar e pronto :)

Se vocês estiverem de férias, que tenham umas excelentes!

domingo, 12 de julho de 2009

Loja Online (off-topic)

A minha loja em artesanum

(Clique na imagem para visitar a loja)

Vocês já conhecem a minha história. Entre o abandono do curso de Português-Francês e o reingresso no Ensino Superior em Psicologia, muita coisa fiz para descobrir o que realmente gostava e não gostava de fazer. Entre uma mão cheia de funções e actividades que desempenhei, houve uma que se tornou um hobbie e também uma grande surpresa (e que resistiu ao tempo): a criação de peças artesanais. Não se trata apenas de bijuteria - tratam-se de verdadeiras jóias, peças trabalhadas em vidro por artistas excepcionais (os meus preferidos são de Itália e América). Já lá vão quatro anos, desde então... A expansão do projecto passou pela criação dos blogs que vocês conhecem (o Faz de Conta Bijus, com dois anos de existência, e o Caixa de Ideias, com um ano de existência).

Recentemente, houve a necessidade de voltar a expandir, e num projecto ainda em iniciação e experiência, foi criada uma loja online única, com os produtos que se encontram disponíveis. Não substitui a visita aos blogs, mas ajuda às pessoas com menos tempo e paciência, a encontrarem justamente aquilo que querem. Nesse sentido surgiu a loja Faz de Conta & Caixa de Ideias, na Artesanum.

Independentemente do modelo que preferirem - blogs ou loja - não deixem de nos visitarem e se deliciarem com os artigos. Que tenham tanto prazer em usá-los, como eu tenho a criá-los.

Laura.

sábado, 27 de junho de 2009

Michael Jackson

Hoje não coloco imagem. Toda a gente sabe a quem pertence este nome.
Não sou de fazer homenagens. Mais depressa falaria da morte, dessa entidade absoluta e avassaladora, do que faria uma homenagem a alguém. No entanto, não posso deixar de escrever estas palavras e de demonstrar que o mundo perdeu alguém que eu admirava por várias razões. O meu mundo perdeu-o.
Ficam as recordações das músicas que eu cantarolava dia após dia, das vezes que fui apanhada em frente ao espelho a esboçar alguns passos inspirados no meu ídolo, dos recortes de revistas, dos posters colados nos cadernos diários, dos autocolantes nas mochilas, na cassete que ouvia vezes sem conta e nos sons quase guturais que pretendia imitar e fazia rir os amigos.
Graças ao Michael Jackson tenho estas maravilhosas recordações.

Só por isso, irá ficar no meu coração.

sábado, 20 de junho de 2009

Neblina


Levantou-se e abraçou o vazio característico das madrugadas sombrias. Vestiu o seu casaco e saiu para o frio matutino. O ar gélido, o orvalho e a neblina misturavam-se. Invadiram-lhe rosto e alma.
A densidade do ar não lhe permitia ver um palmo de terra à frente. Ainda assim, destemido, avançou.

Do outro lado poderia haver sol...

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Um mês (e tal) depois...

... eis-me. Com uma valente dor de cabeça. Rodeada de livros. Com o computador à frente. Olhos trocados, quase a fecharem de tanto sono e preguiça. Uma chávena de leite com chocolate esquecida. Canetas de mil cores a sublinhar frases de outros. Um papel de um Kit Kat devorado recentemente. Fones nos ouvidos.
Dois calhamaços sobre psicopatias. Marcadores de páginas. Apresentações orais para fazer.
Nesta ausência, participei no meu primeiro seminário enquanto palestrante. Foi uma experiência fantástica. Adoro expor teorias e investigações em público: sobretudo se forem feitas por mim!
Meus caros, ainda hão-de ouvir falar (muito) de mim! :)

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Vinte e... :)



Já são muitos. Já quase lhes perdi a conta. Sinto que estacionei aos 22 e que de lá não passei. Sinto-me como se já tivesse vivido muito mas como se não crescesse, como se as minhas memórias e recordações longínquas tivessem ocorrido há poucos meses atrás.
É a olhar para os outros que me sinto (e sei) envelhecer. As pessoas mentem quando dizem que não têm medo de envelhecer. Claro que têm. Eu tenho. Tenho medo de deixar a minha juventude para trás e de me olhar ao espelho e pensar que tudo na vida é efémero. Não é perder a beleza que me assusta. É não fazer tudo aquilo que quero fazer.

Num sopro vou apagar as velas imaginárias. Ninguém precisa saber quantas são, não é verdade? ;)

Hoje não me vou chatear. Vou aproveitar o dia e receber cada miminho de coração aberto. Antes não ligava a isso, agora não quero outra coisas senão ser mimada. Dizem que começa a ser assim à medida que se envelhece... :)

Parabéns a mim.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Boa Páscoa!


Uma semana de férias e já quase a acabar. Que miséria... Só por causa disso, vou encher-me de amêndoas de todas as qualidades, cores e feitios e comer folar com manteiga a acompanhar uma bela caneca de chá, café ou leite! Isto para ter energias na próxima semana e recomeçar o ritmo frenético dos últimos tempos.
Não ofereço a ninguém! É tudo meu! ;p
Boa Páscoa! ***

quarta-feira, 11 de março de 2009

Estátuas



Sinto que, ao olhar para trás, as pessoas não conseguem ver tão bem quanto eu as acções que fiz, as palavras que disse, os gestos que tive para com elas, nos mais diversos contextos. Sinto que, nos dias que correm, há um egocentrismo tal que só se vê aquilo que interessa ver, que o resto - além de desinteressante - é inútil. Sinto que não vou conseguir perdoar-lhes e que, apesar de não desejar mal a ninguém, anseio para que a vida lhes ensine algo que possam aplicar nas suas vidinhas levianas e promíscuas. Talvez quando aprenderem as mesmas lições que eu, lhes perdoe. Deverá ser a idade um mero factor desculpabilizante, por si só?

Quando voltar a olhar para trás, além dos sorrisos - uns abertos, outros semi-abertos - vou ver estátuas: figuras imóveis que ficaram lá atrás e que não me vão fazer falta nenhuma; apenas adornarão as minhas recordações.

Sinto que... amanhã é outro dia.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Carnaval



Pierrot.
Quando me perguntaram de que me queria vestir naquele carnaval, surpreendi ao dizer: «Quero ir de Pierrot!». Quando me perguntaram porquê, não soube responder. Tinha olhado apenas para um quadro que tinha no meu quarto. A suavidade das cores pastel, contrastavan com a tristeza do Pierrot. Havia ali algo de mágico, de cativante.
Um rosto branco com a famosa lágrima pintada. Gola aos folhos, vestuário branco. Sapatos e toca pretos. Não via qual a surpresa dos adultos. Era algo simples de fazer. Já tinha as serpentinas e as bolas de sabão. As pinturas tinha-as guardadas na caixa dos tesouros e a roupa a mãe, habilidosa, fazia-ma, com certeza, sem dificuldade alguma.
Mas a simplicidade de pensamento das crianças nunca é reconhecida. E lembro-me perfeitamente de me darem uma série de argumentos para não ir à Pierrot. O mais ilustrativo foi:
- Como é que tu, que gostas tanto da animação do Carnaval, queres vestir-te de uma coisa tão triste?
Convenceram-me.
Hoje, já conhecendo a origem do Pierrot e ainda me sentindo fascinada por essa personagem, ninguém me convenceria a não vestir-me como ele, nesta altura que já não me provoca nada, além de uma pontinha de nostalgia da infância que ficou lá para trás.

Para quem gosta: bom Carnaval!

sábado, 14 de fevereiro de 2009

4º aniversário


Faz hoje quatro anos que criei este blog :)

[E como hoje também se celebra o Dia dos Namorados, votos de um bom dia para todos.]

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Descobertas

Houve fases em que me senti perdida a nível vocacional. Aquela certeza de que poderia escolher qualquer área de estudo que seria bem sucedida, impedia-me de pensar, com discernimento, sobre aquilo que gostava mesmo (ou não) de fazer.
Quando olho para trás, não consigo deixar de pensar que perdi três anos da minha vida num curso que não me deu muito além de desilusão, e mais dois anos posteriores a fazer coisas totalmente diferentes para descobrir, finalmente, do que gostava de experimentar e exercer enquanto profissão. Por outro lado sinto que, se não tivesse passado por tudo isto, a esta altura estaria desempregada ou a recorrer a centros de explicação para garantir um ordenado miserável, exercendo tudo menos a docência propriamente dita, como eu imaginava...
Ao fim destes quase três anos em Psicologia experimental, sinto-me renovada e esperançada em relação ao futuro. Conheço muitos psicólogos desempregados, conheço a realidade do país, mas continuo convicta de que vou conseguir fazer o que gosto. E fazer o que gosto passa pela psicologia forense, pela investigação, pelo contributo à ciência. Se não tivesse passado por tudo o que passei estes anos, não teria conhecido os profissionais fantásticos que conheço, nem teria tido a oportunidade de trabalhar num laboratório de psicologia. Quando penso nisto, não posso deixar de me sentir uma privilegiada.
Demorei a descobrir, mas descobri que uma das minhas vocações é compatível com a minha maneira de ser e estar na vida, com a minha ambição de absorver tudo o que diga respeito ao ser humano (e, meu deus, quanta coisa tenho vindo a aprender!) e com a felicidade de fazer aquilo que realmente gosto. Ainda tenho um longo caminho a percorrer até chegar obter a minha especialização. Mas depois disso, sinto que vou ter o mundo aberto para me receber...

Estarei a sonhar?

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Ai...


... nunca pensei que o Paraíso tivesse tanto pó!

Andei a fazer visitar todos os cantinhos que tinha nos meus links e, sem muita surpresa, verifiquei que grande parte deles já não existem ou simplesmente estão inactivos.

Visitei todos sem excepção, mas não comentei em todos. Em breve, a minha presença será mais regular :) Não é que agora, de um momento para o outro, tenha conseguido arranjar tempo. Mas consegui uma fórmula mágica (não, não a partilho!) para haver tempo para tudo, incluindo estas partilhas de vivências.

Confesso: já tinha saudades vossas e de vos visitar. Estes últimos dois anos passei-os sem grandes textos e sem dar (muitas) notícias. Muita coisa se passou, como é natural :)

Resolvi renovar o Paraíso. Ao invés de ser um blog só de textos adornados da minha realidade, vai passar a ser também o meu espaço de reflexões e estados de humor crus. Claro que os meus textinhos terão lugar mas agora não vão estar sós.

Obrigada por ainda se lembrarem da Laura, a eterna Cakau deste mundo blogosférico!
Beijinhos a todos!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Regresso


Sim: aleluia! Quem é vivo sempre aparece, não é verdade?
Tomei a decisão de voltar a dar vida e cor ao meu Um Paraíso no Inferno.

Depois do pó limpo e da aparência renovada, é caso para dizer: sinto-me nascido a cada momento, para a eterna novidade do mundo (Alberto Caeiro).

Estou pronta para regressar.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Bola de Cristal


Tenho uma bola de cristal mas falta-me a aptidão de saber lê-la para lá do compreensível. Não sabendo, portanto, o que este ano nos reserva a todos, fico-me pelos votos sinceros de que sejam doze meses repletos de concretizações pessoais, saúde e boa-disposição.

Bom Ano, caros amigos!