quarta-feira, 11 de março de 2009

Estátuas



Sinto que, ao olhar para trás, as pessoas não conseguem ver tão bem quanto eu as acções que fiz, as palavras que disse, os gestos que tive para com elas, nos mais diversos contextos. Sinto que, nos dias que correm, há um egocentrismo tal que só se vê aquilo que interessa ver, que o resto - além de desinteressante - é inútil. Sinto que não vou conseguir perdoar-lhes e que, apesar de não desejar mal a ninguém, anseio para que a vida lhes ensine algo que possam aplicar nas suas vidinhas levianas e promíscuas. Talvez quando aprenderem as mesmas lições que eu, lhes perdoe. Deverá ser a idade um mero factor desculpabilizante, por si só?

Quando voltar a olhar para trás, além dos sorrisos - uns abertos, outros semi-abertos - vou ver estátuas: figuras imóveis que ficaram lá atrás e que não me vão fazer falta nenhuma; apenas adornarão as minhas recordações.

Sinto que... amanhã é outro dia.

6 comentários :

brun0.m@rkez disse...

a idade nada justifica.

Nuno Q. Martins disse...

Olá Nina d´Oiro,

No teu texto referiste-te às pessoas, em sentido lato. Julgo que não querias generalizar pois acredito que, no universo das estrelas que iluminam o teu céu, encontrarás por certo o brilho de algumas almas que não se enquadram no perfil que traçaste neste post.

Julgo que o equilíbrio espeiritual é algo que se conquista com os ensinamentos provenientes do próprio sofrimento decorrente de acontecimentos da vida de cada ser. A idade, só por si, nada justifica nem nada oferece, apenas uma oportunidade maior ou menor de coleccionar vivências importantes.

Àqueles que, manifestamente, (ainda?) não encontraram o seu equilíbrio espiritual, não lhes deves culpar nem perdoar nada. Deixá-los apenas seguir o seu rumo na expectativa de que um dia consigam alcançar o seu equilíbrio.

Trata de preservar o teu equilíbrio alimentando-o com todas as descobertas que a vida proporciona. Acima de tudo, cultiva o orgulho-próprio e as auto-conquistas.

Beijo Grande.

Azoth disse...

“O Alcorão”

Al Bácara
Versículo 286

“Deus não impõe a nenhuma alma uma carga superior às suas forças. Beneficiar-se-á com o bem quem o tiver feito e sofrerá com o mal quem o tiver cometido. (..)”

fairy_morgaine disse...

também sinto muitas vezes o vazio de ser diferente.
beijo grande

Sophia disse...

Há sempre que olhar para o novo dia com uma esperança renovada!

;) Baci

Cachopa disse...

tantas estatuas que eu já vejo....