sábado, 20 de junho de 2009

Neblina


Levantou-se e abraçou o vazio característico das madrugadas sombrias. Vestiu o seu casaco e saiu para o frio matutino. O ar gélido, o orvalho e a neblina misturavam-se. Invadiram-lhe rosto e alma.
A densidade do ar não lhe permitia ver um palmo de terra à frente. Ainda assim, destemido, avançou.

Do outro lado poderia haver sol...

2 comentários :