segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Onde anda o Natal?

O Natal é uma época tão especial e, simultaneamente, tão vulgar.
É uma altura em que as Famílias deviam estar reunidas, em que as prendas não passariam de lembranças onde não se gasta dinheiro, em que todos pudessem usufruir de um bocadinho de paz, no conforto das suas casas.

À medida que envelheço, parece que a magia do Natal só existe dentro de mim, dentro de um qualquer ponto indefinível e antiquado, preso a memórias de infância que não passam disso mesmo.

Olho à minha volta e vejo todos preocupados com prendas. E o mais preocupante é que eu também sou uma dessas pessoas, porque todos - absolutamente todos - estão à espera de receber algo da minha parte. Porque se não for oferecido algum presente às pessoas que nos são próximas o primeiro pensamento será: "para o ano não levas nada".

Estou um pouco melancólica neste preciso momento. Um pouco preocupada que a noite de amanhã não seja uma noite de sorrisos por se ter a família em casa, mas uma noite focada naquilo que se recebe e no que não se recebe.

Se calhar estou a pintar um quadro negativo.

domingo, 27 de outubro de 2013

Os sonhos são sempre os mesmos


Quando criei este blogue, há muitos anos atrás, tinha um propósito em mente.
Partilhei convosco muitas estórias - algumas que me foram injustamente roubadas, razão que me aborreceu e me fez conter na escrita. Hoje, sei que estive errada em conter-me.
Depois vem o pretexto do trabalho. Vocês assistiram a todo o meu percurso académico e a todas as vicissitudes e conquistas daí inerentes. Este percurso, do qual muito me orgulho, continuou a deixar um espaço em branco que só podia ser preenchido pela escrita.
Volvidos muitos anos, tomei uma decisão: retomar o meu sonho, interrompido. Vou lançar-me ao mundo e espero conseguir realizar-me. Espero que o mundo abrace os meus sonhos e não seja demasiado cruel.

Os nossos sonhos são sempre os mesmos. Se persistem, não importa quanto tempo passe, é sinal que eles são nossos, que nos pertencem, e que os devemos realizar.

Já começaram a viver os vossos sonhos?

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Bom ano!



O ano que termina foi um dos mais difíceis da minha existência. Foram meses de avanços e recuos, de quase desistência, de confrontos com uma série de crenças e pensamentos limitativos que me impediam de sair de um buraco negro criado para me engolir. Basicamente, foi um ano de desafios. Mas não foi pautado apenas por tristezas e sofrimentos. Também tive grandes conquistas e momentos de auto-realização que pude partilhar com muitos.
 Olho para trás, faço a minha retrospetiva pessoal e, inevitável e mentalmente, destaco uma mão cheia de pessoas que foram o meu suporte. Não há palavras para expressar o meu amor e gratidão por acreditarem em mim quando eu própria desacreditei.

Amanhã será a continuação de hoje. A continuação do ciclo. Mas há a ilusão de que tudo será melhor e, por isso, agarramo-nos a essa ilusão como se fosse uma verdade e desejamos que o novo ano nos brinde com momentos felizes. Na verdade, prometemos uma série de coisas a nós próprios que não conseguimos cumprir, mas a magia de que "tudo pode ser diferente" entusiasma-nos.

À Família, aos Amigos, aos colegas, aos conhecidos, àqueles com quem estive, àqueles com quem não estive, a todos os que, de uma forma ou de outra, fazem parte da minha vida, FELIZ 2013.