segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Onde anda o Natal?

O Natal é uma época tão especial e, simultaneamente, tão vulgar.
É uma altura em que as Famílias deviam estar reunidas, em que as prendas não passariam de lembranças onde não se gasta dinheiro, em que todos pudessem usufruir de um bocadinho de paz, no conforto das suas casas.

À medida que envelheço, parece que a magia do Natal só existe dentro de mim, dentro de um qualquer ponto indefinível e antiquado, preso a memórias de infância que não passam disso mesmo.

Olho à minha volta e vejo todos preocupados com prendas. E o mais preocupante é que eu também sou uma dessas pessoas, porque todos - absolutamente todos - estão à espera de receber algo da minha parte. Porque se não for oferecido algum presente às pessoas que nos são próximas o primeiro pensamento será: "para o ano não levas nada".

Estou um pouco melancólica neste preciso momento. Um pouco preocupada que a noite de amanhã não seja uma noite de sorrisos por se ter a família em casa, mas uma noite focada naquilo que se recebe e no que não se recebe.

Se calhar estou a pintar um quadro negativo.

3 comentários :

Carlos Alberto Lopes disse...

Querida Laura,

Como compreendo tão plena e intensamente teus sentimentos...

No ano que se prepara para findar, experimentei céu e inferno (não encontrei o Paraíso), e preparo-me para encerrá-lo com a sensação de enorme crescimento pessoal onde ecoam com forte intensidade os teus pensamentos descritos nesta postagem.

Abraço-te desde este lado do Atlântico na certeza que pudeste sentir Paz e Serenidade em teu coração na noite passada e desejo que continues sentindo essa Paz e Harmonia por tanto tempo quanto queiras !!!

Beijos e abraços-

Carlos Alberto Lopes disse...

Querida Laura,
Conclui neste Natal, que o Natal em que acreditei durante muito tempo (nem muito, nem pouco), apenas o que precisei , não faz sentido. Se existe realmente uma conclusão a tirar no nascimento de Jesus ( a quem acredita), essa conclusão têm apenas um sentido - doação . E aqui em casa já decidimos que a partir do próximo Natal estaremos doando a nossa noite aqueles que não têm nada para comer e tanto precisam de calor humano.
Cansei dos excessos e iremos distribui-los. Se o teu coração está cheio d Natal, talvez o chamado seja para o distribuir por quem o verdadeiramente pede e precisa...

Beijos

Laura Alho disse...

Querido Carlos, é tão bom e tão reconfortante voltar a ler-te, a ter notícias tuas...

Louvo a vossa atitude e espero poder fazer exatamente o mesmo: doar o meu tempo e doar tudo o que tenho em excesso e sem ser em excesso. Porque é isso que vale realmente a pena!

Beijinhos ***